Try Nordest’in na Feira Ibérica de Turismo (FIT), na Guarda


Seguindo a caminhada de promoção do Nordeste de Portugal, a Corane- Associação de Desenvolvimento dos Concelhos da Raia Nordestina, e a Desteque – Associação para o Desenvolvimento da Terra Quente, levam à Feira Ibérica de Turismo (FIT), que decorre de 1 a 4 de maio na Guarda, o projeto Try Nordest’in.

As duas associações de desenvolvimento estão juntas na organização, gestão e promoção de todo o potencial turístico do território, de forma integrada e devidamente organizada.

Mais uma vez a carinha pão-de-forma vai servir de stand, sendo um elemento que capta a atenção e a curiosidade dos visitantes para o restante material promocional disponível neste evento, desde logo, brochuras informativas que revelam o que de melhor há no território: natureza e paisagem, património, património religioso, artesanato, cultura e tradição, gastronomia, alojamento, animação e arte. No stand do Try Nordest’in também é possível ver diversos vídeos promocionais, que abordam o território de forma transversal e complementar, incluindo todos os Pontos de Interesse. Está também disponível o website, uma das ferramentas do projeto, onde é possível pesquisar conhecer a oferta existente. As duas associações vão ainda organizar provas de degustação dos produtos de excelência do território.

Esta feira assume especial importância por contar com expositores portugueses e espanhóis e, espera-se, com visitantes dos dois países, a quem se pretende mostrar a oferta existente no Nordeste de Portugal.

A participação em feiras, nacionais e internacionais, é uma das estratégias de promoção defendidas pelo movimento Try Nordest’in, que recentemente esteve na IntourMarket, em Moscovo (Rússia), sendo a única presença portuguesa naquele evento.

O Try Nordest’in pretende apostar na promoção em mercados emergentes, o que justificou a presença na Rússia, mas sem nunca descurar a importância dos mercados de proximidade.

A Corane e Desteque, como associações de desenvolvimento que são, têm ao longo dos anos apoiado dezenas de projetos relacionados com o setor do turismo, nomeadamente unidades de alojamento, empresas de animação, artesanato, restauração e criação de unidades de produção de produtos típicos, criação de museus rurais, entre outros. Este trabalho contribuiu para uma indiscutível qualificação da oferta turística no território, mas só por si não basta, é preciso dar a conhecer o que se fez, promover este potencial de forma integrada e, por essa razão, as duas associações decidiram apostar também na gestão e promoção de todos estes produtos.