CoraNE faz levantamento de receituário tradicional da Terra Fria transmontana


 O projeto foi despoletado pelo concurso das “Sete Maravilhas Gastronómicas de Portugal”, promovido pela Federação Minha Terra. A Terra Fria transmontana apresentou cinco pratos, Caldo de Cascas (Sopas), Butelo com Cascas (Carnes), Javali no Pote com Castanhas (Carnes), Posta Mirandesa (Carnes) e Bola Doce Mirandesa (Sobremesas), três destes pratos chegaram aos 21 finalistas, mas nenhum deles consegui integrar a lista final das Sete Maravilhas Gastronómicas de Portugal. Foi a partir daqui que a CoraNE- Associação de Desenvolvimento dos Concelhos da Raia Nordestina, decidiu efetuar “o levantamento do receituário tradicional dos quatro concelhos que representa (Bragança, Miranda do Douro, Vimioso e Vinhais), para posterior publicação”, explica Luísa Pires, coordenadora da CoraNE. Esse levantamento já foi feito e neste momento vai-se dar início à recriação de cada um dos pratos, acrescentando às receitas tradicionais novos ingredientes: inovação e atratividade. “A ideia é respeitar o receituário tradicional mas queremos apresentar os produtos e os pratos em si de uma forma mais atrativa, mais cuidada, mais moderna e apetitosa”, refere. Porque “os olhos também comem”, a responsável acredita que uma forte aposta na imagem da oferta gastronómica local, “de reconhecida excelência”, é capaz de atrair novos visitantes e de contribuir para o aumento da competitividade do setor da restauração.

 Para desenvolver este trabalho de “imagem” a CoraNE pretende celebrar um protocolo com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) de Bragança, para que o chefe de cozinha e responsável pela formação na área da hotelaria e restauração deste organismo, confecione cada um dos pratos do receituário e sugira uma nova forma de apresentação “mais moderna e atrativa”. Cada um desses pratos será fotografado e essas imagens vão acompanhar as receitas já recolhidas. “Mesmo na presença on line consideramos que devemos introduzir novas imagens, mais apelativas, porque o que vemos agora numa simples pesquisa na internet é que nos aparecem pratos de excelente qualidade mas nem sempre com a apresentação mais recomendada”, continua.

 

Luísa Pires acredita que este trabalho possa contribuir para que a restauração local apresente um maior número de pratos tradicionais nas suas ementas, se sinta estimulada por aperfeiçoar a imagem e até que se recuperem algumas receitas já perdidas. “Já tivemos o caso dos Cuscos de Vinhais, estiveram praticamente perdidos e após a CoraNE ter insistido na sua recuperação, com a colaboração de algumas pessoas mais velhas do concelho de Vinhais, este prato gradualmente regressou às ementas dos restaurantes e até é apresentado como um produto gourmet”, exemplifica.

Este receituário deve estar concluído antes do Verão, e vai ser distribuído e promovido em todo o país e no estrangeiro.