Corane, Desteque e Douro Superior garantiram investimento superior a 47 milhões de euros do PRODER


“O desenvolvimento rural é uma questão de interesse nacional, requer uma dimensão local e uma abordagem próxima das pessoas”. Um conceito que define a intervenção dos Grupos de Ação Local (GAL), concretamente da Corane – Associação de Desenvolvimento dos Concelhos da Raia Nordestina, da Desteque – Associação de Desenvolvimento da Terra Quente, e da Douro Superior – Associação de Desenvolvimento. Em conjunto estes três GAL representam 13 municípios: Alfândega da Fé, Bragança, Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Mirandela, Mogadouro, Vila Flor, Vila Nova de Foz Côa, Vimioso, Vinhais, Torre de Moncorvo. No último Quadro Comunitário de Apoio, no âmbito do Sub-Programa 3 do Proder (Dinamização das Zonas Rurais), estas três associações garantiram um investimento superior a 47 milhões de euros, correspondendo mais de 30 milhões a apoios a Fundo Perdido, verbas investidas na diversificação da economia e criação de emprego, melhoria da qualidade de vida, conservação e valorização do património rural, animação e aquisição de competências e desenvolvimento de programas de cooperação.
A Medida 3.1 – diversificação da economia e criação de emprego, é aquela que representa a maior fatia do investimento realizado, cerca de 29 milhões de euros. Aqui se enquadra a criação e desenvolvimento de microempresas, o desenvolvimento de atividades turísticas e de lazer e a diversificação de atividades na exploração agrícola. Nesta medida foram aprovados e executados 265 projetos, que garantem emprego a 525 pessoas, sendo 392 novos postos de trabalho.
Na Medida 3.2 – melhoria da qualidade de vida, o investimento, superior a 13 milhões de euros, repartiu-se pela criação de serviços básicos para a população rural e conservação e valorização do património rural. Beneficiaram desta medida 147 projetos, que asseguram emprego a 440 pessoas, sendo 101 novos postos de trabalho.
Só com estas duas medidas as três associações conseguiram contribuir para a manutenção de perto de um milhar de postos de trabalho, determinantes para a fixação da população no território, para o efetivo desenvolvimento rural.
Mas a ação destes Gal não se limitou ao apoio a promotores privados e públicos, cada uma das associações desenvolveu diversos programas de cooperação, nacional e internacional, criando novos serviços, novos produtos, apostando na valorização e promoção do território, trabalhando em rede com outras entidades, criando riqueza para o território. As diversas ações de animação e a aquisição de competências também representam uma área de ação importante para os GAL. Nestas rúbricas se enquadra a formação e qualificação que proporcionam à população local, atribuindo-lhes novas competências, novos conhecimentos. Também aqui se enquadra todo o trabalho de promoção do território, através do desenvolvimento de iniciativas de animação local mas também através da promoção feita fora de portas, levando o nome, os produtos, os valores e todo o potencial do território, para outros lugares, outros públicos, outros mercados.
Os GAL garantem apoio financeiro e técnico aos promotores locais, privados ou públicos, na implementação dos seus projetos, e continuam a acompanha-los nos processos de divulgação e promoção, contribuindo para a conquista de novos públicos e novos mercados, essenciais para determinar o sucesso e o desenvolvimento económico e social do território.
A abordagem LEADER e os grupos de ação local “salvaram” os valores da ruralidade ao assumirem um compromisso e uma prática de trabalho de proximidade e participado e respeito pela identidade local.